<< >>
1/6
Jornadas de Arte e Ambiente no CineEco, em Seia
Estão abertas as inscrições para as IV Jornadas de Art’ Ambiente, que vão decorrer em Seia, no âmbito do CineEco - Festival Internacional de Cinema Ambiental e que resultam de uma parceria entre a ASPEA – Associação Portuguesa de Educação Ambiental e a Câmara Municipal de Seia.
[+]
Seia, capital do cinema ambiental
O CineEco — Festival Internacional de Cinema Ambiental, começa dia 11 de Outubro em Seia, comemorado a sua 20ª Edição inspirado no espírito da natureza, combinada com os afectos.
[+]
CineEco de Seia homenageado no Filmambiente, Brasil
O CineEco, festival de cinema ambiental de Seia, que este ano cumpre a sua 20ª edição, vai ser homenageado no Filmambiente – Festival Internacional de Cinema Ambiental que decorre de 4 a 11 de Setembro no Rio de Janeiro, Brasil, sob a direção de Suzana Amado.
[+]
JAFUMEGA no encerramento do CineEco
O mítico grupo português JAFUMEGA com muito sucesso na década de 80, está de volta aos palcos do país. A digressão inserida no programa Cultrede, de que o município de Seia faz parte, inclui um concerto no encerramento do CineEco, a 18 de Outubro, na Casa Municipal da Cultura.
[+]
Festival de cinema ambiental CineEco homenageia Brandão Lucas
O CineEco - 20º Festival Internacional de Cinema Ambiental que se realiza em Seia de 11 a 18 de Outubro, vai homenagear o realizador Carlos Brandão Lucas.
[+]
CineEco de Seia atrai filmes de todo o mundo
Festival vai organizar uma cimeira de realizadores de festivais de cinema ambiental de todo o mundo, uma conferência sobre temas ambientais da actualidade e um documentário sobre os 20 anos do certame.
[+]

Home

PALMARÉS CINE ECO 2014 — Festival de Cinema Ambiental da Serra da Estrela

 

O filme ‘Última Chamada — O Que Ainda Não Foi Contado Sobre a Crise Global’, é o vencedor do Grande Prémio Ambiente da vigésima edição do festival de Seia (Serra da Estrela) e único do país dedicado ao cinema ambiental. O Prémio Lusofonia foi atribuído ao filme português, ‘Neran N’Dok’, de Luis Melo, Diogo Ferreira e Emanuel Ramos.

 

O júri internacional do CineEco atribuiu o Grande Prémio Ambiente ao filme `Última Chamada — O Que Ainda Não Foi Contado Sobre a Crise Global’, do italiano Enrico Cerasuolo, ‘uma abordagem global de um problema que envolve todos os cidadãos, poder político e as empresas’, numa releitura actual do best seller ‘Os Limites do Crescimento’, publicado em 1972, por iniciativa do Clube de Roma, sobre economia global e sustentabilidade.

 

O Prémio da Lusofonia foi atribuído a ‘Neram N’Dok’, dos realizadores portugueses Luis Melo, Diogo Ferreira e Emanuel Ramos, um filme sobre como a governação participativa, pode ajudar a melhorar as condições de vida das populações, na área marinha protegida das Ilhas Urok, na Guiné-Bissau.

 

O Júri da Lusofonia atribuiu igualmente uma Menção Honrosa ao Filme Ria por Dentro, de Ana Maria Rodrigues, por usar os melhores recursos audiovisuais para divulgar de forma interessante a informação cientifica de um ecossistema complexo e ameaçado, tornando clara a importância de preservar o equilíbrio da cadeia alimentar ali presente. 

           

Na Competição Internacional de Longas-metragens foram atribuídos o Prémio de Educação Ambiental para ‘Mbeubeuss, O Terreno Fértil Para a Esperança’, de Nicolas Sawalo Cissé (Senegal), um filme sobre a vida das crianças que vivem num dos maiores aterros de lixo do mundo, nos subúrbios de Dakar; e o Prémio de Antropologia Ambiental, para ‘Costa da Morte’, de Lois Patiño (Espanha), um filme que estabelece uma poderosa relação do homem com a dura natureza, filmado na região do noroeste da Galiza. Na Competição Internacional de Curtas-metragens, o júri que acumulou também a nova Competição de Séries e Documentários Televisivos, atribui por unanimidade, prémio principal de curtas a ‘Limite Zero’, de Helena Hufnagel (Alemanha), um filme sobre a central nuclear mais ‘segura’ do mundo e o prémio das obras televisivas a ‘Zero Waste’, de Raffaele Brunetti (Itália), sobre a ações de cidadania dos habitantes de Nápoles, para melhorar a gestão dos lixos e resíduos urbanos.

 

O Prémio Lusofonia/Panorama Regional foi atribuído a ‘Outono’, de Marco Amaral (Portugal) um filme rodado na região da Serra da Estrela, sobre o despovoamento do interior do país, através da história de uma criança que para ir à escola tem de percorrer uma grande distância e um caminho quase desconhecido.

 

O Júri da Juventude atribuiu o seu prémio principal a ‘Virunga’, de Orlando von Einsiedel (Reino Unido), sobre os guardas que protegem um dos maiores parques naturais do mundo, que abriga os gorilas de montanha no Congo.

 

O júri da Juventude atribuiu ainda as seguintes Menções Honrosas:

Longa Internacional: ‘Mbeubeuss, O Terreno Fértil Para a Esperança’, de Nicolas Sawalo Cissé (Senegal),

Curta Internacional: Vento (Wind), de Robert Löbel, (Alemanha);

Longa Lusófona: Serra Pelada, de Vitor Lopes, (Brasil);

Curta Lusófona: Ilhas Desertas, de Madalena Boto e Alexandre Vaz, (Portugal / Cabo Verde);

Panorama Regional: Aqui não se passa nada, de Isadora Sousa Pinto, (Portugal);

Séries e Documentários: Portugal Terra, de João T. Vasconcelos, (Portugal)

 

Foram mais de 6 mil espetadores que passaram pelas salas do CineEco, que se realizou na Casa Municipal da Cultura de Seia nesta semana de 11 a 18 de Outubro. A adesão de espetadores foi efectivamente muito significativa e em crescente, relativamente a edições anteriores, tendo em conta a frequência dos públicos escolares e público em geral. Estes números revelam que o festival já criou o seu público e vai fazendo o seu caminho de afirmação como grande acontecimento cinematográfico, de natureza cultural e ambiental no interior do país.